CIIR promove Semana PcD e reforça que superar barreiras é estratégia para garantir inclusão

CIIR promove Semana PcD e reforça que superar barreiras é estratégia para garantir inclusão

O Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (Belém / PA) promove de 24 a 26 de agosto uma série de atividades sobre o tema ‘Superar Barreiras Para Garantir Inclusão’, dentro da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. A programação inclusiva, organizada pelo grupo de Trabalho de Humanização (GTH), inclui atividades como vídeos; caminhadas; canoagem; apresentações musicais das oficinas de Arte e Cultura; pintura livre; desenhos artísticos; e encontros com usuários e pacientes.

CIIR: desafios diários de PcDs é o combustível da inovação da assistência, diz diretora executiva, Rejane Xavier.

Entre os beneficiados pela assistência de média e alta complexidade oferecida pelo CIIR está a dona de casa Heloísa Anjos, 39, mãe de dois filhos autistas, Yosef e Felipe Neves, de 12 e 10 anos, respectivamente, que recebem atendimento no Centro Especializado de Reabilitação (CER IV) e no Núcleo de Atendimento Transtorno do Espectro Autista (Natea). Sem esconder sua satisfação ao falar sobre os avanços no desenvolvimento dos garotos, Heloisa relembra que, antes de ser admitido no CIIR, o filho mais velho fazia medicação, mas não tinha qualidade de vida. Mas, tudo mudou quando ele passou a receber assistência especializada pela equipe multiprofissional do CIIR. “O que mais ele gosta são essas atividades lúdicas, origami, pintura, desenho de arte. O Felipe já gosta de atividades na biblioteca, algo mais calmo como a leitura. O mais importante são os avanços no aprendizado, no emocional, na socialização deles que agora têm até amigos. O CIIR é nossa segunda família. Só tenho gratidão”, ressaltou a mãe dos pequenos usuários, ao destacar ainda a importância do diálogo com a gestão compartilhada do CIIR.

Deficiências e suas especificidades

O neurologista do Centro de Reabilitação, Yago Castro, destaca as especificidades entre as deficiências tratadas nesta semana de 21 a 28. Ele define como deficiência intelectual a condição da pessoa com Quociente de Inteligência (QI) reduzido em comparação às pessoas com faixa etária da mesma idade. “Esse baixo desempenho costuma refletir no dia a dia como dificuldade de acompanhar uma conversa, de aprendizado, de raciocínio, de linguagem, e outras em geral”. Já as deficiências múltiplas, segundo o profissional, abrangem a deficiência intelectual, mas existem outras também: visual, auditiva e física. Quando a pessoa possui dois ou mais dessas deficiências é considerada uma pessoa com deficiência múltipla.

Yago Castro relata que o êxito da assistência de usuários PcD´s, depende também da adesão e da conscientização da família no processo terapêutico. “Isso faz toda a diferença para o desenvolvimento de habilidades dessas pessoas, para que elas possam ter melhor qualidade de vida, para facilitar a sua inclusão”.

Para a diretora Executiva do CIIR, Rejane Xavier, os desafios diários enfrentados pela gestão de cuidado integral aos usuários PcDs é o combustível da inovação da assistência constantemente refinada pela gestão do CIIR. Ela destaca que o modelo de cuidado centrado na pessoa que busca sempre alinhar o que é ofertado ao que o usuário necessita é uma das prioridades da gestão junto aos usuários. “Entre os avanços conquistados,  ressalto ainda a importância do papel das associações e dos usuários que têm voz dentro do CIIR, através de reuniões de gestão compartilhada, melhorando cada vez mais o diálogo, a escuta entre a instituição e usuários”.

Não menos importante, a gestora destaca a implantação do Núcleo de Atendimento Transtorno do Espectro Autista (Natea), que é focado na Análise do Comportamento Aplicada (ABA) e em evidências científicas. “O espaço oferece serviços multiprofissionais que auxiliam no desenvolvimento de pessoas com autismo”, complementou Rejane Xavier.

(Com informações da Assessoria de Comunicação do CIIR).