INDSH assume gestão de hospital e retoma ‘Projeto + Graça’ em São Francisco do Sul
28 de novembro de 2018
Campeão paraolímpico de judô visita complexo integrado de reabilitação, administrado pelo INDSH, em Belém (PA)
30 de novembro de 2018

Em entrevista, diretora do INDSH explica prioridades na gestão de hospital em São Francisco do Sul

(29/11/2018) – Conheça a entrevista concedida pela Diretora Operacional do INDSH, Lilian Buse, para o Correio Francisquense, na edição de 23 de novembro, sobre o início da gestão no Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Graça, em São Francisco do Sul (SC), e o planejamento já definido.

O Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) é a nova Organização Social (OS) que assumiu na terça-feira, 20 de novembro, a administração total do Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Graça e UPA 24h do Sandra Regina, em um período emergencial que pode levar até 180 dias. A transição entre a antiga organização Ideas e a nova estava ocorrendo desde o dia 5 de novembro e se encerrou na última segunda-feira, 19, com a rescisão de contratos de todos os funcionários da antiga OS das unidades de saúde.

Nesta transição, dos 180 empregados que eram do Ideas, 90% foi readmitida na primeira e segunda chamada de empregados, nos próximos dias haverá também uma terceira chamada. “O sindicato vem tratando com o novo Instituto sobre a celebração de acordo coletivo para melhorias salariais e outras em favor desses empregados. Toda a transição vem sendo realizada conforme recomendado pelo Prefeito Municipal e sua equipe de trabalho, buscando melhoria para esses empregados e no atendimento que é prestado a toda a comunidade”, relata o presidente do Sindicato dos Empregados em Saúde em Joinville e Região, Lorival Pisetta.

Algumas mudanças foram feitas no contrato com a nova OS e o trabalho dessa gestão será ampliar alguns serviços, priorizando as cirurgias gerais eletivas com uma agilidade maior, já que a demanda é alta, além de também ampliar o horário de funcionamento de alguns setores no Hospital. “Outro ponto que a gente preconiza, que nós temos aqui internamente um laboratório, que serve tanto ao Hospital quanto ao UPA, ele ter profissionais 24h”, explica a diretora operacional da região sul do INDSH, Lilian Buse. “A mesma coisa nós estamos tentando com a parte de radiologia, nós tínhamos técnicos de radiologia até às 23h, a gente está tentando que eles fiquem 24h, porque das 23 até às 7h do outro dia era sobreaviso também”.

Lilian também afirma que o Instituto irá preconizar as internações e os raios-x eletivos, esse último que tem uma maior demanda na unidade básica de saúde, era um contrato a parte da Prefeitura com a antiga OS. “Então esses raios-x também vão ser feitos por nós. Anteriormente era uma cota específica em um contrato a parte, que a prefeitura pagava a parte para o Ideas. Hoje a gente inseriu isso no nosso orçamento também, sem alterar o orçamento que era preconizado pelo Ideas antes”, diz.

A escolha da Prefeitura pelo Instituto se deu após serem qualificadas sete OS, delas três atendiam os pré-requisitos e as necessidades que a Prefeitura elencou como básico. Porém a INDSH foi a que apresentou um projeto de trabalho e financeiro mais próximo da realidade do município, conforme a secretária municipal de Saúde, Nádia Raposo.

O Instituto que foi criado em Minas Gerais, em 1950, como Associação de Proteção à Maternidade e à Infância de Pedro Leopoldo. Até a constituição do Instituto, a associação administrava apenas o Hospital e Maternidade Dr. Eugênio Gomes de Carvalho. Hoje, o INDSH administra instituições de saúde pública e privada no país, como: Hospital Regional Público do Marajó (PA), Hospital Geral de Tailândia (PA), Hospital Regional Público do Leste de Pará (PA), Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Dr. Vitor Moutinho (PA), Centro Hospitalar Jean Bitar (PA), Unidade de Pronto-Atendimento Adulto e Infantil Santa Paula (PR), Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (PA) e Hospital Geral de Ipixuna do Pará (PA).

Os comentários estão encerrados.