HGI alerta usuários e acompanhantes sobre riscos da automedicação

HGI alerta usuários e acompanhantes sobre riscos da automedicação

Foto: Divulgação.

O Hospital Geral de Ipixuna do Pará mantém projetos sobre prevenção de doenças, semanalmente. Um desses projetos é sobre cuidados com a automedicação, com palestras ministradas por profissionais da equipe farmacêutica, entre eles, Leonardo Victor Gomes, que proferiu palestra na área da Recepção Central.

De acordo com o coordenador de Logística e responsável técnico pela Farmácia do HGI, o farmacêutico Ivonildo Alves dos Santos, a automedicação é caracterizada pelo uso de medicamentos escolhidos pelo próprio indivíduo, comumente indicado por pessoas não habilitadas no âmbito da saúde como amigos, vizinhos e familiares, ou seja, ocorrendo sem orientação médica, farmacêutica, odontológica ou profissional de saúde qualificado.

Segundo ele, automedicação, assim como a prescrição desacertada, pode ter inúmeras ameaças à saúde do paciente, como efeitos colaterais, enfermidades e mascaramento de doenças. “Os idosos são mais  susceptíveis  aos  resultados indesejáveis com a utilização de fármacos, devido, principalmente, às variações fisiológicas provocadas pela idade avançada, que  podem impactar a seguridade e elevar a chance de mortalidade do paciente e estão rigorosamente relacionadas às situações clínicas do indivíduo”.

Dados da OMS dão conta que o uso inadequado de antibióticos, por exemplo, faz com que as bactérias se alterem, tornando-se resistentes a medicamentos. Infecções como pneumonia, tuberculose e gonorréia, estão se tornando cada vez mais difíceis e, às vezes, impossíveis de tratar.

A questão mais preocupante talvez seja o fato do abandono precoce de tratamento. A capacidade de julgar os sinais e sintomas que os responsáveis carregam com si tende a se deparar em uma grande tragédia.

Para concluir, o responsável técnico pela Farmácia do HGI, Ivonildo Alves conclui que os medicamentos de maior uso indiscriminados pela população brasileira, são: anticoncepcionais, analgésicos, descongestionantes nasais, antiinflamatórios e alguns antibióticos, adquiridos em farmácias comerciais, sem nenhuma dificuldade.

(Com informações de Assessoria de Imprensa do HGI).