Gincana feita por funcionários no Hospital Regional do Marajó arrecada livros e fraldas para pacientes
3 de maio de 2019
Unidades promovem Semana de Enfermagem e escolhem Colaborador Sorriso 2019 entre enfermeiros e técnicos
10 de maio de 2019

Hospital Regional do Marajó reestrutura fluxo de cirurgias e reduz de 70 para 15 dias o tempo de espera

Para dar maior vazão e reduzir significativamente o tempo de espera para realização de cirurgias eletivas, ortopédicas e cirurgia geral, a gestão do Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), em Breves, iniciou em janeiro deste ano, um intenso trabalho de reestruturação do fluxograma de atendimento de pacientes que culminou, no primeiro trimestre de 2019, com realização de um total de 409 cirurgias do tipo eletiva, que significou a redução do tempo de espera de 70 dias para 15 dias, para cirurgia em ortopedia e, de 90 dias para 30 dias, para cirurgia geral, que tinha a maior demanda reprimida, associada a maior segurança no procedimento.

(Breves – 6/5/2019) – O Hospital Regional Público do Marajó, em Breves (PA), iniciou em janeiro  reestruturação do fluxograma de atendimento de pacientes que culminou, no primeiro trimestre de 2019, com realização de um total de 409 cirurgias eletivas. Isso reduziu o tempo de espera de 70 dias para 15 dias, para cirurgias em ortopedia e, de 90 dias para 30 dias, para cirurgia geral, que tinha a maior demanda reprimida.

De acordo com a diretora executiva do regional do Marajó, Rejane Xavier, foi um trabalho de três meses que ganhou força em março “com realização de cirurgia eletivas, inclusive nos finais de semana”, explicou. “Foi um movimento forte para dar a efetiva resolutividade no atendimento, especialmente, em ortopedia”. A diretora técnica Cristina Braga Palheta explica que dentro da reestruturação efetivada algumas ações já existentes foram ratificadas, como por exemplo, a confirmação da presença do usuário na antevéspera da cirurgia eletiva, por telefone, como estratégia para reduzir as ausências.

“Outras estratégicas foram criadas, entre elas, a implantação de um fluxograma e instrução de trabalho, construídos com todos os profissionais envolvidos na operação, envolvendo as equipes multiprofissionais, médicas e administrativas para a efetiva implementação com nosso usuário, sempre no centro dessa reestruturação”, explicou a médica.

Segundo o cirurgião, André Ramos, está em fase de execução do Protocolo de Cirurgia Segura, do Ministério da Saúde, que reduz os riscos de intercorrências evitáveis, durante a realização das cirurgias, além do ‘Aviso Cirúrgico’, que informa aos setores a realização e o tipo de procedimento que será efetivado, apontando o  paciente e quais materiais serão necessários para o procedimento. “Isso evita a suspensão de muitas cirurgias”, afirmou o médico.

Volume de atendimentos – Nos primeiros 100 dias deste ano, a equipe do HRPM efetivou mais de 92 mil atendimentos mais relevantes, que representa um crescimento de 5% em relação ao mesmo período do ano passado, que ainda é celebrado por mais de 98% do índice de satisfação do usuário.

Dos atendimentos realizados, foram 5.295 consultas ambulatoriais, 1.001 de urgência e emergência, 827 internações, 817 saídos, 49.719 exames gerais, 504 transfusões, 26.985 sessões de fisioterapia, 1.944 atendimentos do Serviço Social,  815 em Psicologia, 3.338 em Fonoaudiologia, 105 partos e 753 cirurgias, que impactaram positivamente nos indicadores que demonstram a importância do HRPM para uma assistência cada vez mais efetiva e segura no sudoeste do Marajó.

Por Vera Rojas

Os comentários estão encerrados.