HRPC, em Capanema, oferece 250 mamografias para mulheres do nordeste paraense

HRPC, em Capanema, oferece 250 mamografias para mulheres do nordeste paraense

Com uma oferta mensal de 100 exames de mamografia para usuárias de 16 municípios da região, o Hospital Regional Público dos Caetés, em Capanema (PA), oferece neste mês, em adesão à campanha Outubro Rosa, mais 250 exames para detecção e tratamento precoce do câncer de mama e, assim, contribuir para redução da mortalidade causada pela doença.

Hoje, o HRPC dispõe de um mamógrafo com tecnologia de ponta, com imagem de ótima qualidade. O público-alvo da campanha é a mulher a partir dos 40 anos, quando já deve fazer o autoexame e buscar consulta com mastologista, periodicamente.

A adesão de usuárias à campanha está sendo considerada muito satisfatória pela técnica em Radiologia Giselly Queiroz, do HRPC. Desde a abertura da campanha, no último dia 16, a unidade hospitalar já realizou cerca de 90 exames de mamografia, via encaminhamento de usuárias pelo sistema de regulação estadual.

Passos para a saúde – A interessada deve começar por uma consulta na Unidade Básica Saúde (UBS) mais próxima. A mamografia de rastreamento é destinada a mulheres sem sinais e sintomas, prioritariamente na faixa etária de 50 a 69 anos, e poderá, inclusive, ser solicitada por profissional de Enfermagem da Estratégia Saúde da Família (ESF), na Rede Básica de Saúde. No entanto, para as demais faixas etárias do sexo feminino e masculino, que apresentem sinais e sintomas, a solicitação deve ser feita por um médico.

Serviços de referência – O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), oferta em 13 Regiões de Saúde exames de mamografia, consultas com mastologistas e biópsias mamárias. Caso haja necessidade, a paciente é encaminhada para um dos 29 serviços de referência em diagnóstico e tratamento de câncer de mama mantidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e/ou conveniados, espalhados por 22 municípios do Pará.

De acordo com a Sespa, no Pará o câncer de mama vem registrando ligeira queda: em 2019, foram 677 casos , e 646 ocorrências em 2020. Neste ano, até o momento são 299 casos. Por faixas etárias, a incidência da doença tem sido maior entre mulheres de 50 a 59 anos (28%), seguidas por 40 a 49 anos (27%) e 60 a 69 anos (21%), levando em conta os casos ocorridos entre 2019 e 2020.

(Com informações da Assessoria de Imprensa do HRPC).